Casos famosos de manipulação da Globo: como não fazer jornalismo

d5d71d10db9b0fd0182ccb4e9857a7c0

Não costumo bater na Globo. Resolvi variar. A Globo prejudicou meu café da manhã. Ninguém prejudica meu café da manhã. Tive raiva enquanto tomava vitamina e comecei a falar sozinho na sala. A cobertura da emissora no Bom Dia Brasil sobre as manifestações de ontem foi tosca. Ninguém faz aquela matéria por engano. A sequência “manifestação pacífica-vândalos se infiltram-vândalos tacam coquetéis molotov-polícia apenas reage” está tão perto da verdade quanto o McDonald’s está de ser comida.

Ia falar mal da JMJ. Desisti. Resolvi falar mal da Globo. Seguem casos emblemáticos de manipulação da história da emissora:

 

Roberto Marinho empossa Ministro

Em dezembro de 1987, Maílson da Nóbrega era o preferido do então Presidente da República José Sarney para assumir o ministério da fazenda. Entretanto, Sarney não podia efetiva-lo no cargo, pois Roberto Marinho tinha outro nome. No dia 5 de janeiro de 1988, Maílson foi chamado para “trocar ideias” com (leia-se “ser sabatinado por”) Roberto Marinho. O big boss da Globo ficou positivamente impressionado com o candidato. De volta ao Ministério, Maílson entrou no gabinete e a secretária o recebeu em festa: “Parabéns, o senhor é o ministro da Fazenda!”. Ele perguntou: “Como assim?” E ela: “Deu no plantão da Globo” [o Plantão do Jornal Nacional].

 

Debate de 1989

Esse é clássico, então nem vou me alongar muito. Em 1989, Collor, o “candidato domesticado”, e Lula, o “comunista perigoso” estavam tecnicamente empatados no segundo turno da eleição presidencial. No último debate da Globo, Lula teve atuação um pouco pior que a de Collor. A derrota moderada foi transformada em goleada pela edição do Jornal Nacional. E Lula perdeu a eleição. Abaixo, Boni, ex-Globo, confessando a armação:

 

Compra da NEC

Esse não é manipulação, mas vale contar. Em 1986, Antonio Carlos Magalhães, o ACM, era Ministro das Comunicações. Subitamente, suspendeu os contratos do ministério com a empresa NEC Brasil, então uma gigante do setor. A empresa entrou em seríssimas dificuldades financeiras e a Globo a comprou por preço de banana. Como retribuição, Roberto Marinho tirou da TV Aratu da Bahia os direitos de transmissão da Rede Globo e os concedeu à TV Bahia, estranhamente controlada por ACM.

 

Globo s2 regime militar

A relação promíscua da Globo com o regime militar não é novidade. Se fosse listar caso por caso aqui não terminava hoje. Para simplificar, alguns toques rápidos: um ex-diretor da censura foi contratado pela Globo para “aprovar tudo que ia ao ar”; segundo um ex-delegado do DOPS (departamento de repressão da ditadura) Roberto Marinho costumava passar no departamento para trocar ideia com os agentes; ficou famosa a frase em que o presidente militar Emílio Garrastazu Médici afirmava que: “Sinto-me feliz todas as noites quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranquilizante após um dia de trabalho”

 

Diretas Já

Em março de 1983, surgiu o movimento das Diretas Já, que pedia eleições diretas para presidente no Brasil (até então um colégio eleitoral escolhia o nome para o cargo). A Globo insistiu em não falar do crescimento das manifestações. Em 25 de janeiro, um dos protestos reuniu até 1,5 milhão de pessoas na Praça da Sé, em São Paulo, e a emissora foi “obrigada” a noticiar o fato. Porém, o âncora que chamou a matéria, por suposta falha técnica, disse que havia sido um encontro para celebrar os 430 anos da cidade de São Paulo (que de fato fazia aniversário naquele dia). 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s