Um pouco mais sentimental

Abri todos os textos que estão separados em uma pasta do meu computador para serem postados aqui no blog. Fui escolher algum e ele acabou sendo mais sentimental. Acho que, por estar sentimental, acabei eliminando os textos relacionados a machismo, limites ou qualquer outra coisa e escolhi um mais… subjetivo? Decidi postá-lo e dividi-lo com aqueles que, por via, possam se identificar comigo ou achar tudo uma bobagem. Aí está a subjetividade.

Você e essa sua mania de ser sempre boa, sempre correta. Você obedece, concorda, perdoa. Você aceita, não fala, não grita, não bate nem discute. Você sabe que, se alguém viesse te bater, você não revidaria, pois não se rebaixaria ao nível da pessoa e, além disso, não suporta violência. E é por isso que, metaforicamente, as pessoas às vezes te batem e você não revida e nem faz nada. Esse seu pavio curto para certas coisas, seu gênio forte e sua atitude nem sempre aparece quando mais deveriam aparecer. E então você cospe tudo que te come na forma de palavras para postá-las em algum lugar e, em certos casos, espera que alguém leia e se identifique. Você joga a sua angústia em um papel ou em um documento do Word e fica por isso mesmo, pois não consegue dizer na cara da pessoa que ela está sendo no mínimo estúpida. Tudo bem que o fato de não conseguir olhar nos olhos de alguém por tanta intolerância, impaciência ou raiva às vezes te priva de conseguir dizer a esse alguém o que te fere e incomoda. Mas muitas vezes é porque você não consegue mesmo. Por isso que eles te batem: sabem que você não vai revidar. E o pior: sabem que você vai perdoar. Paz e amor, “all you need is love”, suas palavras de vida, seu lema. Você preza muito seus amores e amizades, têm medo de perdê-los, por isso perdoa, aceita calada. Tanta coisa que você sempre quis dizer e nunca disse! Está aí a sua fraqueza, sua melancolia que você só divide com a Amelie Poulain ou em sua sala de terapia.

 

Você tem que arrumar seu quarto, você não pode ir a festas, você não pode ter essa nota, você tem que resolver isso essa semana, ‘sorria, você está sendo provocada’, você tem que ligar pra quem diz que sente saudades de você, você tem que correr atrás, você tem que perguntar, você tem que reclamar, você tem que se impor, você tem que botar pra fora o que sente, você tem que ouvir, você vai mesmo fazer só cinema?, você é muito certinha, você ta muito estressada. Você acha que às vezes falar de você mesma é egocentrismo (por isso está escrevendo em terceira pessoa) e não gosta de ficar falando sobre suas qualidades sempre, mas sabe de uma coisa? Você é uma santa. Você é muito boazinha. Não gosta de colocar-se no lugar de vítima, mas não percebe que não é isso que você está fazendo: reconheça que você, em certos casos, é realmente a “vítima”, você está sendo sacaneada. Mas você se cala, apenas se cala… Você e essa sua mania de sempre ser boa!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s